NOTÍCIAS

Projeto Saco Verde é premiado no concurso Educação Profissional para a Economia Verde – IFSP

Promovido pela Câmara Brasil – Alemanha, competição premiou projeto desenvolvido pelo Campus Boituva

O projeto “Saco Verde – estimulando a separação de recicláveis e conectando pessoas para um futuro sustentável”, do Campus Boituva do IFSP, conquistou o primeiro lugar no concurso de Educação Profissional para a Economia Verde, promovido pela Câmara Brasil – Alemanha. Os vencedores foram contemplados com uma viagem para visitar a feira Didactica na Alemanha no ano que vem.

O objetivo do concurso é premiar iniciativas educacionais inovadoras resultantes de parceria entre uma instituição de Educação Profissional e Tecnológica (EPT) e empresa pública ou privada, que tenham foco na formação profissional para a transição para a economia verde; e é promovido pela Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo (AHK São Paulo) e da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, no âmbito do projeto “Profissionais do Futuro”.

Em evento ocorrido no dia 28 de novembro, o coordenador do projeto e diretor-geral do Campus Boituva, Felipe Augusto F. de Almeida, apresentou um pitch sobre o projeto, contando a trajetória e as ações desenvolvidas ao longo dos últimos anos.

O objetivo do projeto Saco Verde é aumentar de renda dos catadores de materiais recicláveis através da implantação de um processo que abrange desde a confecção de sacos verdes através de costura, utilizando como matéria prima os banners provenientes de eventos científicos e propagandas de empresas, passando pelo treinamento dos trabalhadores da Cooperativa de Reciclagem de Boituva para a fabricação desses sacos e a distribuição para a população, bem como a realização de conscientização dos moradores para a correta separação de resíduos e a criação de um modelo de iniciativa que possa ser replicado em outras cidades.

Também foi desenvolvido um aplicativo de celular e um software de monitoramento que gera relatórios de coleta por meio da geolocalização dos sacos distribuídos, bem como dar a oportunidade da cooperativa analisar a melhor rota para o caminhão de coleta. Com essas ações, os impactos ambientais do descarte de resíduos sólidos podem ser reduzidos, há o incentivo para o hábito de reciclagem e reaproveitamento de material e a conscientização dos moradores do município para a correta separação dos materiais e utilização do Saco Verde.

Economia Verde
Conforme o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, entende-se Economia Verde por uma economia de baixo carbono, eficiente em termos de recursos e socialmente inclusiva. “Em uma economia verde, o crescimento do emprego e da renda são impulsionados pelo investimento público e privado em tais atividades infraestrutura e ativos que permitem a redução das emissões de carbono e poluição, energia aprimorada e eficiência de recursos e prevenção da perda de biodiversidade e serviços ecossistêmicos”. Entre os temas envolvidos na economia verde inclui-se: bioeconomia, economia circular, eficiência energética, redução das emissões de CO2, mobilidade sustentável, agricultura sustentável e energia renovável.

Projeto Profissionais do Futuro
A transição para uma economia de baixo carbono demanda profissionais com novas competências. Assim, desde 2021, a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, a encargo do Ministério de Cooperação Econômica e Desenvolvimento (BMZ), em parceria com o Ministério da Educação (MEC) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), desenvolvem o projeto Profissionais do Futuro. A iniciativa contribui para a oferta e a atualização de cursos profissionalizantes nas áreas de energias renováveis, bioeconomia e economia circular, além da digitalização desses setores.

Conheça mais sobre o projeto em sacoverde.com.br

Com informações da Câmara Brasil-Alemanha

 

Notícias relacionadas:

Projeto incentiva reciclagem e aumenta renda de trabalhadores

Meu campus tem: sacos recicláveis em Boituva